País do avesso!


Avesso, só no país do avesso, jogadores de futebol, atores de televisão e cantores, alguns com 18 ou 19 anos, tão jovens e tão narcisistas e soberbos, são mais importantes do que médicos que salvam vidas, professores que educam, jornalistas que informam, motoristas que conduzem, vigilantes que protegem, etc.

Avesso, só no país do avesso, os motoristas colocam adesivos de organizações oficiais (Justiça Estadual ou Federal, Polícia Federal ou Rodoviária, Juiz, Promotor, etc), no pára-brisas dos veículos, no afã de driblarem as averiguações policiais, e o que é mais trágico, é que tais ardis funcionam.

Avesso, só no país do avesso uma rede de televisão investe uma fortuna na produção de um programa que expõe a intimidade de algumas pessoas, na grande maioria de personalidades medíocres, fúteis, vazias e vãs, que ficam confinadas dentro de uma casa, expondo seus vícios e suas idiossincrasias em busca do sonho de se tornarem celebridades da noite para o dia.

Avesso, só no país do avesso, 90% dos programas voltados para televisão são especialistas em apresentar a vida “colorida” das celebridades, criando ícones para serem adorados e seguidos, ícones esses que ditam padrões de comportamento que sequer são criticados, são aceitos inquestionavelmente, não passam por uma análise crítica e nem pelo crivo do senso crítico dos seguidores, esses programas ainda, levam os telespectadores a se esquecerem das suas próprias necessidades e de seus anseios.

Avesso, só no país do avesso, os líderes religiosos galgam carreiras eclesiásticas, para que, quando tiverem influência suficiente, poderem almejar cargos políticos ou mandatos eletivos e supostamente criarem uma bancada religiosa que defenda a família e a moral, esquecendo-se dos antepassados que lutaram tanto para separar o estado da igreja.

Avesso, só no país do avesso, os programas de televisão mais vistos e apreciados são novelas, para todos os gostos e idades, em toda a programação da grade, que criam padrões de comportamentos sociais, religiosos e éticos, padrões esses de gosto duvidoso e questionáveis, alguns, como é o caso dos padrões religiosos, são verdadeiras doutrinações para os incautos espectadores.

Avesso, só no país do avesso, os políticos são, em sua maioria, fisiologistas, procuram aliados que possam trazer benefícios financeiros e ajudem a aumentar a influência e poderio que já têm, a ideologia, os compromissos e até mesmo a trajetória política, são coisas de somenos importância.

Avesso, só no país do avesso, as instituições judiciais, e tudo mais o que elas representam, e as organizações policiais, que são pagas para protegerem os cidadãos, gozam de tão pouco prestígio e de tão pouca credibilidade, que são facilmente superadas por uma instituição que entrega encomendas, de forma ineficiente e bem abaixo do padrão do primeiro mundo, como a instituição mais confiável do país.

Avesso, só no país do avesso, a famosa e famigerada fórmula Pão e Circo é tão bem posta em prática, financia-se desfiles de escolas de samba, carnaval de rua, construção de estádios de futebol. shows de fim de ano, quermesses, novenas, festejos juninos, etc, e o mais trágico é que o povo, que por tanto anos foi acostumado assim, é quem mais pede o pão e o circo, ainda que os governantes não queiram dar e entendam que esta é uma perigosa forma de administrar, ainda assim são obrigados, a mudança mais eficaz, terá que ser de baixo para cima, não o contrário.

Avesso, só no país do avesso, as igrejas, instituições que deveriam propagar o evangelho simples de Jesus Cristo, estão mais empenhadas na construção de mega templos do que no cumprimento da missão que lhes foi confiada, tais construções são apenas uma das formas de demonstração do poderio e do crescimento que vêm experimentando, tal e qual os senhores feudais medievais, que viviam construindo castelos gigantescos para exibirem, jactanciosamente, toda riqueza, domínio e poderio que tinham.

Avesso, só no país do avesso, as igrejas estão em pé de guerra, não contra o pecado, a pobreza, a maldade humana, a fome, a opressão, etc, estão em guerra uma contra as outras, cada uma quer ser maior, cada uma quer mais poder, cada uma quer mais notoriedade e espaço na mídia. As armas que usam nesta guerra são menos honradas que as armas usadas pelas empresas na busca por espaço no mercado. Guerreiam por espaço nas grades das redes de televisão, fazem acordos em surdina, na calada da noite, para tirarem a programação das outras igrejas (concorrentes) e colocarem a própria programação no lugar, deixam os executivos das redes assustados com tamanha ferocidade em negociar, mas também enchem os bolsos dos mesmos, além de os deixarem perplexos com a capacidade que têm de arrecadarem fundos com facilidade, para financiaram os seus projetos megalomaníacos e narcisistas.

Avesso, só no país do avesso, ser arrevesado é lutar para não viver uma vida medíocre e guiada pelo o que diz a maioria. Viver acima da mediocridade é para poucos, é para incompreendidos e desajustados!

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...