O príncipe era apenas um sapo!


Há um ano atrás, talvez até menos do que isso, seis meses, este texto seria impensável. Nunca simpatizei muito, nem pouco, com ele, ouvir o seu nome na mídia sempre me deu asco (Isso não é novidade, pois boa parte dos políticos, mormente os de direita, sempre me deram e dão asco). Eu sempre acreditei que ele era “apenas” mais um demagogo, como a maioria dos que compõem o parlamento, uma coisa porém é achar que alguém é hipócrita, agora, que além disso é também corrupto é outra coisa completamente diferente. Estamos falando de Demóstenes Torres, um promotor de justiça de carreira que se notabilizou por sua atuação no seu estado natal: Goiás e por conta desta sua atuação como promotor, foi Procurador Geral da Justiça, além de ter sido secretário de segurança pública naquele estado. Com isso ganhou visibilidade e logo foi eleito para o Senado. 

No Senado, e em decorrência disto no Congresso, era, até bem pouco tempo, afamado como um politico de conduta ilibada e era reputado, não sem motivos, como um homem da lei, um dos mais profundos conhecedores da lei. Não foi difícil chegar a ser um dos líderes da oposição, oposição esta acéfala, há muitos anos, e carente de membros de vulto. Como líder da oposição tinha a postura de impiedoso, que não negociava valores, era sempre destacado como um defensor da moralidade e parecia mais um pitbull diante da corrupção alheia, estava sempre no ataque, sem ceder um só centímetro. Como parecia, parecia, não ter sido contaminado pela praga da corrupção que assola o Parlamento Brasileiro, e por aparentar que era imune à esta doença que mina as instituições públicas, foi colocado pela mídia (Hoje se sabe que uma parte da mídia não o catapultou aos holofotes por reconhecê-lo como um político de honra, mas sim por fazer parte do mesmo esquema de corrupção que ela mesma chafurda) num patamar de destaque, microfones, holofotes, canetas e câmeras sempre lhe foram franqueados pela imprensa sempre em busca de suas declarações polêmicas e chocantes. Gozava de prestígio, prestígio esse advindo da imagem de homem honrado que sempre se esforçou por manter limpa.

Parece no entanto que o príncipe da moralidade na verdade é um sapo, como tantos outros, que coaxa muito bem nos charcos imundos e se sai muito bem nos pântanos da ilegalidade.

Este mesmo arauto e paladino da lei e da ordem, que mais parece um xerife do velho Oeste que é intolerante com o crime, ou no dizer da Veja: Um dos Mosqueteiros da Ética, foi flagrado por meio de escuta telefônica autorizadas pela justiça, conversando com o contraventor, o bicheiro Carlinhos Cachoeira, o que não faltavam entre os dois eram assuntos, já que as conversas, interceptadas e gravadas, entre os dois somam mais de trezentas ligações. Cachoeira teria dado de presente ao “douto' senador uma cozinha importada, avaliada em mais de R$ 30.000,00 no seu casamento.

A Polícia Federal abriu inquérito para apurar até onde vai a participação do senador nos negócios do contraventor, que é bastante conhecido por explorar jogos de caça-níqueis e investiga ainda a hipótese de que Cachoeira teria habilitado vários celulares Nextel fora do país para não ser tão vulnerável aos grampos. Não se sabe como, mas um destes aparelhos foi parar nas mãos de Demóstenes.

Por razões que ainda são desconhecidas, há quase um mês que diariamente vêm à tona informações que dão conta de quão estreito é este laço entre o bicheiro e o senador, como exemplo disso a notícia de que o senador pediu ao empresário, leia-se bicheiro e contraventor, que pagasse seu táxi-aéreo. Fica até difícil saber se é um bicheiro que tem um senador ou um senador que tem um bicheiro, o que se pode dizer ao fim e ao cabo é que são porcos que se banqueteiam na lama, um verdadeiro “Festim de Corvos”, para usar o título de uma série bem em voga no mundo literário moderno.

Ainda que viva sempre à cata de escândalo, a imprensa, representada pela maioria dos seus órgãos representativos, ignorou por semanas a fio as denúncias que eram feitas diuturnamente, quando não podia ignorar, usava um tom mais ameno, ao contrário do que se podia imaginar que estaria protegendo o seu “queridinho”, hoje se sabe que estava protegendo a si mesma. Esta parte da imprensa, veículos que sempre foram ávidos por noticiarem bombasticamente as irregularidades no governo ou em partidos da base aliada ao Palácio do Planalto, emudeceu.

A pergunta que se fazia dias atrás era: Por que é tão difícil encontrar o nome de Demóstenes Torres em certos jornais ou revistas? Por que não vemos manchetes sobre esta ligação do senador com o contraventor quando o assunto é tão palpitante até mesmo nas redes sociais? Por que a Veja, sempre tão ciosa em derrubar ministros no primeiro ano do governo de Dilma, com massacres semanais, manchetes que mais pareciam pedradas simplesmente se calou? Hoje já sabemos a resposta. A democracia corre perigo, não por golpes que estejam sendo arquitetados nos quartéis, mas sim por golpes que estão sendo arquitetados nas redações, tratando a verdade como mentira e a mentira como verdade, e a luta contra isso é quase hercúlea! Isso é perigoso e o resultado disso é uma sociedade distópica, como a que é vista em 1984 de George Orwell, até o Grande Irmão já existe.

Hoje já se sabe a resposta. A TV Record, do Grupo IURD, que sempre apanhou, aprendeu a bater e dedicou horas dos seus noticiários semanais para tentar aprofundar as ligações entre a Revista Veja, Carlinhos Cachoeira e Demóstenes Torres, ainda que não imparcial, pelo menos tem servido para a divulgação das investigações, o que doutra forma o grande público poderia nem tomar conhecimento.

Pode-se tirar inúmeras lições deste fato, dentre elas eu diria que a mais grave é o quanto a mídia pode manipular os fatos, ao ponto de elevar alguém ao status que quiser, ela consegue tornar um corrupto num modelo de ética a ser venerado e seguido, bem como, pode denegrir a reputação de alguém sem máculas, até que o mesmo perca os amigos e a família. Quantos inocentes não já foram vítimas disso?

Mas há algo que ela não pode fazer e nunca poderá: Sustentar uma mentira, de forma que permaneça de pé para sempre, isso só pode ser feito pela verdade e a verdade, ainda que massacrada e mal-baratada sempre vencerá, quando todos os muros vierem abaixo, quando todas as muralhas ruírem, quando todos os castelos e pontes forem derribados, a única coisa que permanecerá de pé é a verdade, porque ela, mesmo na boca do Diabo, pertence a Deus, e a mentira não pode vencê-la! [“... Acautelai-vos primeiramente do fermento dos fariseus, que é a hipocrisia.
Mas nada há encoberto que não haja de ser descoberto; nem oculto, que não haja de ser sabido...” Lucas 12: 1 e 2].

A verdade está na essência do próprio Deus: “... eu sou o caminho,
a verdade e a vida!” João 14:6. (Grifo meu), e nunca nada do que disse poderá voltar atrás. Acautelai-vos, ó vós que tratais a verdade como mentira e a mentira como verdade!

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...